Dia 6 - 04/09/2018
Dia da semana: terça-feira
Local: Praga/República Tcheca
Hospedagem: ApartHotel Davids
Lugares obrigatórios: Fábrica da Pilsner Urquell

O objetivo do dia era conhecer a Fábrica da Pilsner Urquell, a primeira pilsen do mundo, a pilsen original, a verdadeira pilsen...chamem como quiser, mas foi ela que deu origem ao estilo de cerveja mais consumido no mundo.

Já tinha feito a reserva no dia anterior para o tour às 13:00. A fábrica fica na cidade de Plzen, à menos de 100 km de Praga, sendo muito tranquilo chegar lá. Eu segui exatamente uma das opções deste site(de ônibus): http://insiderpraga.com.br/pilsen-plzen-como-chegar/.

Mas resumindo, peguei o metrô perto do meu hotel e parei na última estação da linha amarela(Zličín), que tem a estação rodoviária. Saindo do metrô é só ir subindo as escadas e seguindo as placas que indicam os ônibus. Logo que sair da estação, à direita tem os guichês da empresa Regiojet. Comprei meu bilhete de ida e volta por 200 CZK, e segui para a plataforma indicada. A viagem é bem agradável, com uma vista interessante e dura pouco menos de 1 hora.

Cheguei na estação rodoviária(estação Plzeň, CAN), liguei meu google maps e segui cerca de 2 km à pé em direção à fábrica, uma caminhada que nem senti, passando por um parque e depois seguindo pelo rio.

Logo que cheguei ao local fiquei realizado, um dia ensolarado, eu numa “mini cidade” onde se cozinha uma das melhores cervejas que já tomei na minha vida. Procurei o centro de atendimento ao cliente, agilizei tudo e já fiquei esperando para iniciar o tour. Tirei alguma fotos, inclusive numa moto sensacional toda estilizada no modelo Pilsner Urquell.

A guia chegou e lá fomos nós, num tour que se assemelha à todos os outros que eu fiz. Normalmente passa por lugares que contam a história da marca, passa pela fábrica, fala sobre os 4 ingredientes principais da cerveja(água, malte, lúpulo e levedura), e depois o principal, a degustação. Pra mim o tour fica meio complicado tendo em vista que é tudo em inglês, e entendi muito pouco, mas já tinha lido tudo na internet, então estava mais pela parte visual, e claro, a degustação.

O mais interessante foi no final, ao entrar no subsolo, com uma temperatura mais baixa onde ficavam os fermentadores, que eram como grandes barris nos quais era realizada uma das últimas fases da fabricação, a fermentação. Esse processo é interessantíssimo, a levedura transforma o açúcar, que foi extraído do malte, em álcool(teor alcóolico da cerveja) e gás carbônico(o gás da cerveja). E também é neste local que aconteceu a degustação, enchendo o copo diretamente num dos fermentadores. Para quem estuda ou trabalha com cerveja, deve imaginar o preço de um momento desses, de beber a Urquell quase pronta, um primitivo da cerveja, que ainda terá mais um tempo no processo de fermentação e depois ainda irá para a garrafa.

Depois que finaliza o tour, entramos num elevador e advinha, saímos na loja da cervejaria, um baita golpe baixo, logicamente tem tudo que imaginar com a marca da Urquell, mas consegui manter a calma e comprei somente uma camisa. Dei mole de não ter comprado a caneca, que acabei comprando bem mais caro em Praga. Aqui fica uma dica, se for comprar a caneca, compre na visita à fábrica.

Já aproveitei para almoçar no restaurante do complexo e garantindo energias para o retorno.

Voltei pelo caminho inverso da vinda, peguei o ônibus de volta, parei na estação de metrô Zličín e voltei para o hotel, parando apenas num mercadinho pra comprar umas cervejas de saideira.

Essa noite era pra dormir cedo e descansar tendo em vista o exagero da noite anterior.

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now