Dia 21 - 19/09/2018
Dia da semana: quarta-feira
Local: Dinant/Bélgica
Hospedagem: Hotel Aquatel
Lugares obrigatórios: Mosteiro Trapista Rochefort

Penúltimo mosteiro cervejeiro, e a saga está acabando, hoje era dia de conhecer a abadia que fabrica a cerveja Rochefort, e infelizmente a única, dentre as 7 visitadas, que não tem um restaurante ao lado para provar suas delícias.

O dia anterior foi maravilhoso, a experiência de uma hospedagem calma e tranquila na Chimay foi sensacional, uma ótima noite muito bem dormida era o que precisava para seguir em direção à cidade de Dinant, cidade que escolhi para passar este dia 19 e conhecer o mosteiro da Rochefort.

A viagem era muito rápida, e o roteiro do dia iniciaria com a visita ao mosteiro, fazer os registros da visita, almoçar ali na cidade de Rochefort mesmo, e depois ir pra Dinant deixar as coisas no hotel e dar uma volta na cidade. A partida da Chimay foi por volta das 10 horas e o destino, Abadia de Notre-Dame de Saint-Remy(mosteiro da Rochefort), estava a cerca de 90 km de distância. Como a estrada estava pouco movimentada cheguei lá com cerca de 1 hora de viagem.

Não tinha restaurante para degustações, não havia muito o que fazer lá, somente tirar umas fotos e partir. Mas esse mundo por maior que seja, ainda é um ovo, só tinha um senhor ali fora tirando algumas fotos, e fui pedir que ele tirasse umas pra mim também, e advinha, era um brasileiro, cervejeiro e que estava na Europa para um congresso que aconteceria em alguns dias em Portugal. Fizemos um breve passeio ali aos arredores do mosteiro, tiramos algumas fotos, adquiri mais conhecimento sobre cerveja e voltei pro carro. Estavam chegando mais alguns visitantes, e advinha, mais brasileiros.

Hora do almoço, a cidade era bem perto, em cerca de 15 minutos cheguei ao restaurante La Gourmandise. Pedi uma refeição simples, para não demorar muito, o objetivo ainda estava por ser completado somente quando bebesse as cervejas Rochefort nos arredores, e como estava dirigindo optei por uma coca-cola. Após o almoço sai da cidade de Rochefort e fui para Dinant, há cerca de 30 km, um passeio muito rápido. A chegada à esta cidade deixa realmente maravilhado. Dinant é uma cidade alongada num eixo norte-sul ao longo da costa de um rio, com um sol forte, mostrou-se um local muito convidativo e que merecia uns dias a mais para conhecê-la melhor, infelizmente eu teria só uma tarde. Para aproveitar o máximo possível, fiz meu checkin no hotel, deixei o carro, e peguei o velho e bom trem para o centro.

Dei uma caminhada rápida à beira do rio para escolher onde tomaria minha cerveja Rochefort, e ali temos o conceito de “tanto faz”, porque realmente qualquer bar tem uma visão e um ambiente ótimo para se fazer uma boa degustação.

Para quem gosta de cerveja, tem mais uma visita obrigatória, o Maison Leffe. Eu não sabia, essa informação chegou a mim por uma pessoa que não conheço, que viu meu insta, curtiu algumas fotos, e ao perceber que estava num tour cervejeiro, me indicou essa visita quando tivesse na cidade. O local conta com hotel, museu, bar, restaurante...eu já havia marcado todas minhas hospedagens antes de sair do Brasil, senão eu com certeza me hospedaria neste lugar. Entrei como visitante e fui ao bar tomar todas as Leffes que eu nunca tinha visto aqui no Brasil, e não são poucas as opções.

De lá passei no mercado para fazer a seleção noturna que seria degustada no hotel, e como todas as vezes, fiquei emocionado ao sair com uma sacola com 5 cervejas e deixado cerca de 10 a 15 euros.

Aproveitei a sacada do hotel, que era num lugar meio afastado, para virar a noite tomando cervejas de altíssimo nível e ouvindo somente o som de natureza.

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now