Dia 10 - 08/09/2018
Dia da semana: sábado
Local: Bruxelas/Bélgica
Hospedagem: Generation Europe Youth Hostel

Pra iniciar o dia fui direto ao evento do Belgian Beer Weekend, o almoço deveria ser um chopp que ainda não conhecia. Na chegada dei sorte de pegar o desfile das cervejarias, outro show à parte proporcionado pelo evento.

Tomei uns chopps e saí em busca de um tesouro da lista da viagem, um local que tem registro no Guinness Book, simplesmente por ser o bar com maior variedade de cervejas do mundo, atualmente são cerca de 2.500, então fui à caça do Delirium Café, classificado com visita obrigatória no meu roteiro.

No caminho ainda tive uma baita surpresa, pra variar andando com a camisa do Grêmio, meu imortal Tricolor, e escuto um grito: Dá-lhe Grêmioooo. Não imaginei que encontraria um conhecido lá, não é possível, realmente não era conhecido, mas acabamos trocando uma ideia e fomos pro Delirium entender as coincidências da vida. O nome do figura é Marcelo, e achei que mais nada me surpreenderia, mas entre conversas e chopps descobrimos que as famílias se conheciam de São Gabriel-RS, impressionante o cara sair do Brasil, e encontrar um meio conhecido perdido em Bruxelas.

Depois de alguns chopps fomos de bar em bar até anoitecer, e o Marcelo tinha que partir pra Londres. Tomamos uma saideira no bar do hostel dele, e dali o cara partiu pro metrô.

Eu voltei pro hostel pra preparar pra mais um sábado na Europa, agora em Bruxelas.

Claro que acabei indo novamente ao Delirium Café, afinal com essa variedade eu precisava ficar mais tempo lá pra conhecer mais algumas cervejas, juro que me esforcei, fiquei até às 4 da manhã até receber um convite educado do segurança solicitando que eu fosse embora para que pudessem fechar.

E agregando mais valor ao negócio, ou à minha viagem, o cara indicou o bar da frente que ficava aberto até às 6. Fui para o tal bar, o Floris Bar. Minha percepção é de que ali estavam todos que haviam resistido bravamente à saideira e gostariam de ver o sol nascer bebendo uma cerveja. O bar é bem bacana, todo estilizado e uma variedade sensacional  de bebidas.

Por volta de 6 da manhã, novamente recebi o convite para me retirar e parti rumo ao hostel, afinal tava na hora de ir dorm...não, apareceu um bar 24 horas no meio do caminho, o CAFÉ L’Atmosphere. Ali fiquei até um pouco antes das 8, quando percebi a bateria do celular quase acabando e precisava do maps pra chegar no hotel, paguei a conta e me adiantei para conseguir chegar.

Acho que aqui foi minha primeira experiência de quase desespero na viagem, acabou a bateria do celular e não sabia voltar. Fui em algumas lojas e cafeterias pedindo carregador emprestado e nada, pedia carregador para pessoas na rua também, e nada, me senti quase um mendigo com uma roupa um pouco melhor. Parei numa calçada e fiquei no aguardo de algum milagre. Fiquei impressionado, com a rapidez em que fui atendido, do nada apareceu um policial de moto, e que solicitamente me falou o caminho.

Agora sim, parei com a gracinha de ir de bar em bar e fui pro hostel dormir. Que sufoco!!!

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now